OPINIÃO: Ministério Público caicoense se esquiva do processo da morte de F. Gomes

POR SIDNEY SILVA – O Ministério Público do Rio Grande do Norte em Caicó, se esquiva do processo judicial do assassinato do jornalista F. Gomes, que tramita na Vara Criminal.

A informação que chegou ao Blog Sidney Silva, é que os adiamentos e protelações do processo acontecem, também, porque o promotor Geraldo Rufino de Araújo Júnior, não tem mais interesse de atuar no caso. O próprio promotor disse em entrevista na Rádio Caicó AM nesta terça-feira (18), que concordaria com o pedido de adiamento feito pelo advogado do Gordo.

Os advogados e os próprios réus realizaram desde o início do processo, há 6 anos, protelações e manobras fazendo com que o processo se arraste de forma vergonhosa.

Esta é uma página manchada na história do Ministério Público e do Poder Judiciário caicoense.

Será que não existe outro promotor no Rio Grande do Norte que faça o papel de defensor da sociedade (exercendo, por tanto, seu ofício)?.

O promotor Carlos Cox, que atua na cidade de Jucurutu, já está atuando no processo, mas, na parte que tem como réu, o ex-pastor Gilson Neudo Soares do Amaral.

A Procuradoria Geral de Justiça, falhou também desde o dia da morte do jornalista. A instituição se comprometeu em atuar no caso e de lá pra cá, pouco fez.