Ourives é vítima de assalto em Caicó; imagens de câmeras serão usadas para identificar ladrões

O ourives, Edilson Pereira, teve seu estabelecimento comercial, assaltado no final da manhã desta segunda-feira (21), por volta das 10hs, por dois homens armados. A informação é que a dupla chegou na moto, um deles desceu, entrou e anunciou o roubo. Foram levadas diversas peças e ainda um pano com bijuterias.

Os dois homens fugiram com destino ignorado. A Polícia Militar foi acionada e fez diligências, mas, não conseguiu prender os suspeitos. As câmeras de monitoramento do local, serão usadas para identificar os ladrões.

O ourives, Edilson, foi vítima de assalto em 2014

Essa não foi a primeira vez que o comerciante foi roubado. Em maio de 2014, bandidos invadiram sua casa e fizeram reféns as pessoas. Ele disse que estava trabalhando em sua oficina de conserto de peças de ouro por volta do meio e, o pessoal de casa (seus familiares), já estava rendidos. “Eles botaram um arma na cabeça da milha esposa, milha filha, cunha e o marido dela, todos foram feitos reféns. Eles perguntavam: onde está o seu marido? que horas ele chega? Como eu não cheguei de meio dia, porque atrasei um pouco, eles se desesperaram e passaram perguntar de forma mais agressiva, então, um comparsa veio ver se eu estava no trabalho. Ele mandou mensagem dizendo que eu estava saindo para casa“, contou na época ao Blog Sidney Silva.

Quando Edilson Pereira, chegou em casa, seu filho que o acompanhava entrou primeiro. O rapaz foi rendido. Depois foi a vez de Edilson. “Eles disseram: deita coroa! deita coroa! no chão! no chão! Me levaram para o quarto, lá eles queriam saber do cofre. Eles pensavam que o cofre estava cheio de ouro, mas, não tinha ouro, só tinha papel. As peças que eu tinha, me desfiz, justamente por causa dessa violência. Ninguém pode trabalhar em Caicó. Eles levaram o Notbook, celulares e joias pessoais“, disse.

Os assaltantes estavam de cara limpa e fugiram em motos.

Essa não é a primeira vez que o comerciante Edilson Pereira, é assaltado. Ele foi vítima de ação criminosa em seu estabelecimento comercial, na Rua Otávio Lamartine, no centro da cidade.