SMS confirma 2º óbito em Natal por causa do Covid-19; 7º no Estado

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde confirma a segunda morte por coronavírus na capital potiguar. Conforme apuramos, a vítima foi a médica Maria Altamira, de 71 anos.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal, SMS-NATAL, informa que neste domingo (05) veio a óbito a segunda vítima diagnosticada pelo Covid-19 na capital potiguar. A paciente é uma mulher de 71 anos, com histórico de hipertensão, que esteve em viagem para os Estados Unidos no período de 07.03 a 18.03.

Ao chegar em Natal iniciou os sintomas no dia 21.03, onde buscou um hospital da rede privada no dia 23 de março apresentando dificuldade de respirar e dores no corpo, dor de cabeça e permaneceu internada.
A Prefeitura de Natal se solidariza com familiares e amigos da vítima.

Blog do BG


“Não tenho mais estrutura”, diz médica de acompanhou criança que morreu no Hospital do Seridó

A médica pediatra, Jane Cristina Medeiros, que atendeu o garoto Rian Túlio de Medeiros Bezerra, de 6 anos, que morreu na manhã desta quarta-feira (03), no Hospital do Seridó, com complicações respiratórias, usou as redes sociais para fazer uma desabafo.

Ela afirma:

“Eu era a médica do bebê de 6 anos que morreu hoje. Nem sei se a mãe dele irá ver isso. Não tive coragem de ir ao velório. Nem gostaria de vê-la nesse momento porque não iria conseguir. Mas gostaria de pedir desculpas. Por não ter sido capaz de curar seu filho. Por não conseguir uma vaga pra ele em uma UTI pediátrica quando ele precisou. Por ser somente uma pediatra do interior e não uma super-heroína como vemos na TV, onde o médico sabe fazer absolutamente tudo. Desculpa mesmo. Sei que isso não é suficiente e não consegui dizer isso pessoalmente a você porque eu iria chorar. E detesto chorar na frente das pessoas porque minhas lágrimas são só minhas. E ninguém tem nada a ver com isso. E sei que o face não é lugar pra isso, mas não tenho com quem falar e gostaria de expressar em palavras o meu pesar. Sei que meu pesar jamais se comparará ao seu. Mas gostaria de expressá-lo para que talvez eu consiga me perdoar de não ter conseguido. E prosseguir tentando confiar que nada acontece nessa terra sem o conhecimento de Deus. Só não queria ter sido o instrumento para acompanhar a realização da Sua vontade. Que o senhor e nossos irmãos desencarnados deem forças a essa mãe e esse pai. Acho que não consigo mais lidar com crianças com doenças graves. Não tenho mais estrutura”.