EALRN lança concurso de redação em alusão aos 30 anos da Constituição do Estado

Certame acontece no Rio Grande do Norte

Com o intuito de despertar nos estudantes potiguares o interesse pela cidadania, democracia e política, a Escola da Assembleia do Rio Grande do Norte (EALRN) lançou edital do concurso de redação que realizará no contexto do trigésimo aniversário da Constituição do Estado do RN. O certame irá selecionar e premiar as três melhores redações de alunos do ensino médio de escolas estaduais, que deverão elaborar um texto dissertativo-argumentativo a partir do tema “Os 30 anos da Constituição Potiguar e o seu papel na construção da cidadania”.

“Essa é uma importante iniciativa da Assembleia Legislativa, porque irá resgatar nos estudantes o interesse de pesquisar pela memória do estado em termos de cidadania, democracia e política. Certamente eles passarão a conhecer mais nossa história, nosso povo, nossa gente e, com isso, quem ganha é toda a sociedade norte-rio-grandense”, destacou o professor João Maria de Lima, diretor da EALRN.

Continue lendo



Para especialista, tema da redação do Enem abre debate para inclusão social acadêmica

Para especialista, tema da redação do Enem abre debate para inclusão social acadêmica

Os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem 2017, se depararam, no último domingo (5), com o seguinte tema da redação: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, a questão da surdez e da deficiência auditiva é um assunto que deve ser colocado em debate com os jovens brasileiros. “É inclusivo, levanta uma questão que envolve cerca de 10 milhões de brasileiros, que tem surdez ou deficiência auditiva e é algo que, para mim, coloca um debate bastante interessante junto a própria sociedade de conscientização. De forma propositiva e muito afirmativa, o MEC, por intermédio do Enem, coloca este debate em discussão junto a juventude do nosso país.”

O ministro da Educação comentou também que deseja incluir um reforço na questão da linguagem de sinais para os surdos e aqueles que tem alguma deficiência auditiva. “O Plano Nacional da Educação prevê a questão da educação especial e na programação da definição da Base Nacional Comum Curricular, nós queremos incluir um reforço a questão da linguagem de sinais, a língua brasileira de sinais, que é algo muito positivo e importante em uma missão de inclusão de brasileiros que hoje são surdos ou que tem deficiência auditiva.”

A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, Maria Inês Fini, dá mais detalhes sobre o que os candidatos acharam do tema. “Fiquei particularmente muito feliz com as manifestações dos candidatos que saíram de prova e estão fazendo manifestações muito positivas acerca do tema da redação.”

O tradutor intérprete e professor de libras, Alexandre Castro, comenta que o fato do assunto ter sido motivo de reflexão entre milhares de pessoas, dá espaço para que mais ações benéficas ocorram. “Com este tema, ações podem surgir para minimizar o abismo de desvantagens na inclusão social acadêmica, principalmente o acesso a educação, valorizando o ensino e a sua língua. O tema valeu por ter aguçado a refletir e buscar este conhecimento, que de outra maneira muitos jamais se importariam, pois não estava na via de interesse.”

No próximo domingo (12), os alunos farão questões de matemática e ciências da natureza. Esta é a primeira vez que o Enem é realizado em dois domingos consecutivos.