Caern realiza manutenção corretiva e preventiva no Sistema Produtor Integrado Serra de Santana

Nesta segunda-feira (18), a partir das 7h, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) realizará uma manutenção corretiva e preventiva no Sistema Produtor Integrado Serra de Santana. O serviço que consiste em substituição de rede e de ajustes na Estação de Tratamento de Água (ETA), possibilitará melhorias no abastecimento da região.

Em virtude do serviço será suspenso o fornecimento de água para as seguintes cidades: Acari, Bodó, Currais Novos, Florânia, Lagoa Nova São Vicente e Tenente Laurentino. Logo que os serviços sejam concluídos o abastecimento será retomado.



Caern realiza manutenção na Estação de Bombeamento I, na Armando Ribeiro

Adutora Serra de Santana é paralisada

O fornecimento de água nas cidades de Currais Novos e Acari está suspenso desde a manhã dessa quarta-feira (28), em virtude de problemas operacionais na Estação de Bombeamento I, localizada na barragem Armando Ribeiro.

Equipes da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte estão no local realizando os reparos necessários. O abastecimento nas duas cidades será retomado assim que o serviço for concluído.



Caern vai paralisar adutora Serra de Sant’Ana por 72 horas

A Caern vai paralisar por 72 horas, a partir de segunda-feira (15), o sistema adutor Serra de Santana, que abastece 12 cidades no Seridó, com captação na barragem Armando Ribeiro Gonçalves. O motivo é a realização de uma manutenção programada obrigatória na adutora e equipamentos elétricos.

Após o período, o abastecimento será retomado nas cidades de Jucurutu, Florânia, São Vicente, Acari, Currais Novos, Tenente Laurentino, Lagoa Nova, Cerro Corá, Bodó, Caicó, Jardim de Piranhas e Timbaúba dos Batistas.



Serra de Santana vai ganhar entrepostos para melhorar o escoamento da produção de frutas

Serra de Santana vai ganhar entreposto para melhorar o escoamento da produção – (Foto: Moraes Neto)

Serão criados dois entrepostos em cada uma das cidades para facilitar o escoamento da produção. Também serão feitas análises do solo e água para orientar acerca do controle de erosão e salinidade do solo e reuso de águas e utilização de barragens subterrâneas, assim como perfuração de poços.

No que diz respeito à produção de frutas, mudas e castanhas de caju e adubos, os produtores serão capacitados para terem um manejo agroecológico dos pomares, através do compostagem, produção de fertilizantes e polinização. A ideia é também fazer um planejamento para organizar o escalonamento da produção e busca o selo de Identificação Geográfica dos produtos, inclusive com criação de uma marca própria para as frutas cultivadas na serra.

Na área de beneficiamento, as ações serão para a produção de polpas, doces, geleias, bebidas lácteas castanhas de caju. Pequenas unidades de processamento serão revitalizadas e adequadas na área de Boas Práticas de Fabricação para atender às exigências da legislação. Essas indústrias receberão orientação para beneficiamento das frutas. Também serão estimuladas a desenvolver novos produtos que tenha valor agregado para gerar uma maior lucratividade e tornar a cadeia de valor sustentável e produtiva.



APL vai alavancar produção de frutas na Serra de Santana

Produção-do-Caju-chega-a-4,5-toneladas-por-ano
Produção do Caju chega a 4,5 toneladas por ano

Clima, localização geográfica e tradição tornam a Serra de Santana, na região do Seridó, um dos polos de fruticultura do Rio Grande do Norte. Os sete municípios da área – Bodó, Cerro Corá, Florânia, Lagoa Nova, Santana do Matos, São Vicente e Tenente Laurentino – foram responsáveis pela produção de 5.750 toneladas de frutas na última safra, movimentando R$ 7,5 milhões. O potencial, no entanto, é ainda maior e para explorar essa atividade o Sebrae no Rio Grande do Norte, juntamente com instituições parceira, está estruturando na região o Arranjo Produtivo Local (APL) da Fruticultura da Serra de Santana.

A ideia é organizar a cadeia de valor, melhorar o manejo e otimizar a comercialização, sobretudo para os pequenos agricultores, para desenvolver a fruticultura e agroindústria de processamento de forma inovadora e sustentável. Sem se constituir uma figura jurídica, o APL é uma aglomeração de empreendimentos, localizados em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa.

No caso do APL de Fruticultura da Serra de Santana, o arranjo reúne cerca de 120 pequenos produtores, principalmente cajucultores, com propriedades em três cidades da serra que têm clima e produção semelhantes: Bodó, Cerro Corá e Logoa Nova, atraindo novos compradores e ampliando mercado para esses agricultores. Inicialmente, o APL vai abranger apenas esses municípios, mas, em seguida, serão inseridas as cidades de Florânia, São Vicente, Santana do Matos e Tenente Laurentino Cruz.



Semarh anuncia perfuração de 60 poços para abastecimento na Serra de Santana

Semarh anuncia perfuração de 60 poços para abastecimento na Serra de Santana

A gestão do prefeito Valdir Medeiros vem empenhada em resolver diversos problemas encontrados no município de Jucurutu, que agora podem ser solucionados com planejamento e transparência. Um deles está centrado no quesito da melhoria da pavimentação e malha asfáltica, que cobrem o perímetro urbano do município.

Para quem não sabe, a malha viária que corta o município é de responsabilidade do Governo do Estado, que tem à frente o DER – Departamento de Estradas de Rodagens.

Preocupado em resolver o problema dos buracos, e diante da demora de resposta do DER, a prefeitura realizou licitação da compra do material para execução do serviço referente ao trecho urbano que corresponde a RN-118, e, paralelamente, pediu autorização ao DER para executar a obra.

Para Fylippe Melo, secretário de Obras e Serviços Urbanos, a recuperação da malha viária é de suma importância para melhorar o tráfego dos veículos e garantir, acima de tudo, a segurança dos motoristas. O trabalho de recuperação e manutenção asfáltica exige uma série de estudos prévios, para se ajustar o uso dos produtos e o material adequado à recuperação.

Estamos trabalhando e realizando diversas melhorias para o bem da coletividade do povo de Jucurutu. Dentro de mais alguns dias, estaremos iniciando a pavimentação de diversas ruas do município e assim cumprindo com mais uma promessa de campanha de trabalhar para melhorar cada vez mais a vida do nosso povo“, afirmou o prefeito Valdir Medeiros.



Adutora Serra de Santana será paralisada para interligação de Adutora Emergencial

Adutora Serra de Santana será paralisada para interligação de Adutora Emergencial – (FOTO: Marcos Dantas)

A Adutora Serra de Santana, localizada na região Seridó do Estado, será paralisada por 48 horas, a partir da próxima terça-feira (14). A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN) atende a solicitação do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (DNOCS), que deve executar a interligação da Adutora Serra de Santana com a nova Adutora Emergencial que está construindo em Caicó.

A paralisação do sistema vai suspender o abastecimento nas cinco cidades atendidas pela Serra de Santana: Florânia, Tenente Laurentino Cruz, Lagoa Nova, São Vicente, Bodó. A parada também afetará comunidades rurais abastecidas pela adutora.

A interligação vai permitir que sejam feitos testes no sistema. O trecho interligado vai da Unidade de Bombeamento (booster) 1, localizada a dez quilômetros de Jucurutu, até a Unidade de Bombeamento 2, que fica na localidade de Lajinha, na zona rural de Caicó.

A Adutora Emergencial de Caicó é um empreendimento que está sendo totalmente executado pelo DNOCS, tendo a CAERN disponibilizado pessoal técnico para acompanhamento da obra.

A operação da adutora pela CAERN ocorrerá depois que o sistema adutor esteja totalmente concluído e testado, quando então deverá ser formalizado o compromisso para a operação e manutenção da adutora pela companhia, através de termo de recebimento da obra ou convênio.

Com o sistema testado e funcionando, o empreendimento passará a integrar o sistema de abastecimento de água operado pela companhia na região Seridó, reforçado com a nova adutora.