Universidades terão que diminuir a quantidade de alunos com Fies

Ministro da Educação,  Renato Janine Ribeiro
Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro

O 8º Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular discutiu sobre assuntos relacionados ao Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). A ideia é que instituições de ensino superior particulares tenham diminuição da quantidade de alunos matriculados com o fundo de financiamento.

De acordo com o secretário-executivo do congresso e presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), Gabriel Mário Rodrigues, a situação é desafiadora, mas existem alternativas. “Se houver harmonia entre as instituições e o governo, para o ajuste do Fies, vamos encontrar uma solução”, afirmou.

Ainda segundo o secretário-executivo, negociações estão sendo feitas entre a instituição e o Ministério da Educação para que recursos sejam disponibilizados para reabrir o Fies nos próximos meses.

Apesar da confiança e da preocupação do ministro da educação, Renato Janine, com o caso, Gabriel atenta que é preciso ter calma devido a “situação difícil do Brasil”.

Os problemas relacionados ao fundo de financiamento atingem, principalmente, as instituições de ensino superior do interior, pois apresentam grandes pólos de ensino e tecnologia. A indefinição deste caso preocupa a situação financeira das escolas.

O Ministério da Educação (MEC) foi representado no congresso pela secretária de Regulação e Supervisão da Educação Superior, Marta Wendel Abramo. Ela destacou que as metas de aumentar o número de estudantes de ensino superior no país só serão atingidas com a colaboração dos setores público e privado.