Vivaldo alertou autoridades sobre urgência de reparos na Barragem Passagem das Traíras

O deputado Vivaldo Costa fez vários alertas sobre necessidade de reparos na parede da Barragem Passagem das Traíras

O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) comentou em seu programa de rádio sobre a possibilidade da Agência Nacional das Águas (ANA), em abrir as comportas da Barragem Passagem das Traíras, antecipando-se a possíveis riscos na estrutura do lugar. A Barragem, que foi construída em 1994 quando Vivaldo assumiu o governo do estado tem capacidade de 49.702.394,00 m³, e está localizada entre os municípios de Jardim do Seridó, São Jose do Seridó e Caicó.

Vivaldo disse que um dos grandes orgulhos da sua vida pública foi ter construído a Barragem Passagem das Traíras e que fica triste com os boateiros que ficam criando fatos e notícias, envolvendo nomes de pessoas de bem. O parlamentar reiterou que durante seu mandato teve diversas reuniões, subiu várias vezes na tribuna da assembleia, fez alertas e encaminhou diversos documentos informando sobre a necessidade de se fazer manutenção na estrutura da barragem. “Tudo foi protocolado. Infelizmente não fizeram a manutenção da Barragem Passagem das Traíras e se encontra com defeitos estruturais. Ai não será eu que vou dizer o tipo de defeito nem o tratamento, são os engenheiros, os órgãos que acompanham como a ANA, que gerenciam a água a nível nacional. Nem Vivaldo, nem o governador, nem o prefeito de Jardim do Seridó, vereador, deputado, senador, tem influência sobre a Agencia Nacional das Águas, que tem seus técnicos que vai dizer como deve haver o comportamento”.

Sobre a decisão da Agência Nacional em abrir, ou não, as comportas quando o reservatório alcançar um volume de 3 milhos de metros cúbicos, Vivaldo disse que essa decisão tem que ser técnica e humana. “A gente confia e espera que a ANA tome a melhor decisão sobre a água da Passagem das Traíras, evidentemente com a preocupação de preservar a água acumulada, de garantir a água pra o abastecimento de Jardim do Seridó. Todos nós sofremos com essa situação, com o povo clamando pelo preciosíssimo líquido. A decisão deverá ser feita com critério técnico e humano”.