Horário de verão chega ao fim à 0h de sábado

Nos últimos 10 anos, a medida possibilitou uma redução média de 4,5% na demanda por energia durante o horário de pico / Foto: Arquivo/Agência Brasil
Nos últimos 10 anos, a medida possibilitou uma redução média de 4,5% na demanda por energia durante o horário de pico / Foto: Arquivo/Agência Brasil

O horário de verão chega ao fim à meia-noite de sábado. Os relógios devem ser atrasados em uma hora no Distrito Federal e nos 10 Estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, um balanço da economia de energia elétrica durante o horário de verão – que começou no dia 18 de outubro – deve ser divulgado pela ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) na quinta-feira.

A estimativa da pasta é a de que os ganhos superem o patamar de R$ 7 bilhões, valor que representa o custo evitado em investimentos no sistema elétrico para atender a uma demanda adicional de 2.610 MW. 

Segundo o Jornal Metro, nos últimos dez anos, a medida possibilitou uma redução média de 4,5% na demanda por energia durante o horário de pico (18h às 21h), segundo o ministério. Já a economia absoluta foi em média 0,5%, equivalente, em todo o horário de verão, ao consumo mensal de energia de Brasília, com 2,8 milhões de habitantes.

Esta é a 40ª edição do horário de verão que, com algumas interrupções, ocorre desde 1931, como forma de reduzir a demanda de energia elétrica.

A nova edição do horário tem início no dia 16 de outubro e termina no dia 21 de fevereiro de 2017.

Transportes 

Em São Paulo, as linhas de trens e metrôs funcionarão por uma hora a mais, encerrando a operação à 1h do horário ajustado (ou às 2h do horário de verão). Já os ônibus, segundo a SPTrans, terão operação normal.

Nos terminais rodoviários da Socicam – administradora de rodoviárias do Estado de São Paulo e das cidades de Brasília (DF) e Poços de Caldas (MG) – as partidas ficarão paralisadas por uma hora, para normatizar os horários de embarque.