Pronunciamento de Dilma que iria ao ar em rede nacional é divulgado

A presidente volta a reiterar que não há razões para o impedimento - Foto: Divulgação
A presidente volta a reiterar que não há razões para o impedimento – Foto: Divulgação

Em vídeo de cerca de seis minutos divulgado nas redes sociais, a presidente Dilma Rousseff se defendeu do processo de impeachment que corre contra ela no Congresso Nacional, cuja votação pela Câmara dos Deputados será neste domingo (17).

Segundo o Portal da Band, no pronunciamento, que iria ao ar em rede nacional, Dilma afirma que, desde que foi eleita, “parte da oposição inconformada passou a conspirar pelo impeachment, mergulhando o país em uma instabilidade política que impediu a recuperação da economia com objetivo de tomar a força o que não conquistaram nas urnas.”

No vídeo, a presidente volta a reiterar que não há razões para o impedimento. “Não cometi crime de responsabilidade; não há contra mim denúncias de corrupção; jamais impedi investigações contra quem quer que fosse; meu nome não está em lista de propinas”, pontuou.

Sobre movimentos oposicionistas que assumiriam a administração do país em caso de impeachment, a petista, em tom de alerta, afirma que “querem revogar direitos e cortar programas sociais como Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida; ameaçam a educação pública e querem entregar recursos pré-sal para multinacionais estrangeiras.”

Para a presidente, o país irá mergulhar em um doloroso processo de instabilidade e insegurança. “Nenhum governo será legitimado se não nascer do voto popular. Fora do voto popular, qualquer governo será sempre de tirania, a tirania dos fortes, dos mais espertos, dos mais ricos, dos mais corruptos.”

Dilma conclui que aqueles que votarem pelo seu afastamento não poderão olhar mais nos olhos da nação. “A palavra ‘golpe’ estará estampada na testa dos deputados que votarem pelo impeachment.”