Residentes vão ao Ministério da Educação relatar atraso de bolsas de estudos

Já são quatro meses sem receber a bolsa de estudo no Hospital da Polícia Militar de Natal. Os dez residentes de medicina do hospital – 08 de clínica médica e 02 de pediatria – já esgotaram todas as possibilidades de negociação no estado e agora partem rumo à Brasília para solicitar intermediação do Ministério da Educação e da Comissão Nacional de Residência Médica.

No próximo dia 24 de agosto os médicos residentes participam de reunião com o Ministro da Educação, José Mendonça Filho, e representantes da Associação Nacional de Residência Médica e da Comissão Nacional de Residência Médica. O diretor de Formação Profissional, Residência Médica e Educação Permanente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), José Antônio Romano, também acompanha as estudantes durante a reunião.

Os residentes vão apresentar as notificações entregues a direção do hospital, Conselho Regional de Medicina e ao Presidente da Comissão Estadual de Residência e informar a Comissão Nacional que, até o momento, o relatório de visita da Comissão Estadual não foi entregue aos estudantes – o que impede uma melhor visualização do caso pelos representantes nacionais.

Para o pagamento da bolsa já foram feitas várias reuniões com a direção do Hospital da Polícia Militar, Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) e Gabinete Civil do Estado. Porém, não há informação concreta sobre o pagamento dos atrasados, nem quem será a fonte pagadora de agora em diante. Aliás, a falta de uma fonte pagadora pode comprometer a permanência da Residência no hospital, após avaliação da Comissão Nacional de Residência Médica.

Enquanto isso, os residentes seguem em greve, deflagrada no dia 21 de julho, por pagamento das bolsas e por estarem sem o auxílio acadêmico obrigatório do preceptor no turno vespertino.