SAÚDE: Instituto Butantan e EUA fecham parceria para desenvolver vacina contra Zika

Entre todas as doenças transmitidas pelo Aedes aegypt, a que mais preocupa é a zika pela possibilidade de provocar má formação do feto durante a gravidez – Foto: Divulgação
Entre todas as doenças transmitidas pelo Aedes aegypt, a que mais preocupa é a zika pela possibilidade de provocar má formação do feto durante a gravidez – Foto: Divulgação

O Instituto Butantan fechou uma parceria com os Estados Unidos e com a Organização Mundial da Saúde, a OMS, para desenvolver uma vacina contra o vírus Zika. A expectativa é a de que a vacina esteja pronta para ser testada em humanos já no começo de 2017.

Para o desenvolvimento do remédio, o Instituto Butantan deve receber três milhões de dólares da Autoridade de Desenvolvimento e Pesquisa Biomédica Avançada, órgão ligado ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo norte-americano. Com o dinheiro, o Butantan vai comprar equipamentos de laboratório, reagentes, linhagens de células e outros recursos necessários para o desenvolvimento e a produção da vacina contra o Zika. A parceria também inclui a cooperação técnica entre pesquisadores dos Estados Unidos e Brasil.

O vírus Zika tem preocupado os brasileiros, porque pode causar microcefalia em bebês se a mãe for infectada enquanto estiver grávida. Até o dia 18 de junho, o Ministério da Saúde já havia confirmado mais de mil e 600 bebês com a má-formação cerebral no Brasil, provavelmente ligadas ao vírus.  Para saber mais sobre como você pode se proteger do Zika, acesse o site: combateaedes.saude.gov.br