Vídeo/Entrevista: Estudo mostra temperatura média em Caicó; Centro e Zona Leste tem pontos mais quentes

A professora do Departamento de Geografia da UFRN/Caicó, Rebecca Luna Azevedo, em entrevista ao programa Cidade Alerta, da 102,7 FM, contou detalhes sobre o estudo coordenado por ela que analisou e comparou índices de (des) conforto térmico humano em Caicó/RN, município de clima semiárido.


Caicó: Corpo da professora Lucinete Costa será sepultado nesta quinta no Campo Jorge

O sepultamento do corpo da professora caicoense, Lucinete Maria Costa de Souza, vai acontecer às 08hs da manhã desta quinta-feira (24), no Cemitério Campo Jorge, zona norte de Caicó. Ela morreu, aos 62 anos, por volta das 03h30min da madrugada nesta quarta, de infarto.

Lucinete Costa morreu em casa, de infarto

A professora Lucinete, deixa 5 filhos. Na família existem relatos de mortes por problemas cardíacos.

O velório acontece no Memorial Santa Clara, localizado no Centro da cidade.


TRT-RN: Mãe de autista, professora perseguida consegue indenização

Professora da Cooperativa de Professores do Rio Grande do Norte (Escola Freinet) ganhou indenização por danos morais, no valor de R$ 10 mil, devido a perseguição sofrida por ela e pelo filho autista, aluno da escola.

A professora alegou em sua reclamação, que tramitou na 9ª Vara do Trabalho de Natal, ter prestado serviços à cooperativa entre 2003 e 2014. Em 2012, ela teria sido chamada pela direção da escola para uma sabatina sobre o filho.

Na reunião, a vice-presidente da cooperativa teria afirmado que o filho “era um castigo de Deus” e que ele teria que sair da escola, “já que era especial e que a escola ia perder alunos por causa do comportamento dele“.

Continue lendo


Professora do Departamento de Comunicação da UFRN é eleita a melhor do Nordeste em premiação nacional

A professora Socorro Veloso, do Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), foi eleita a melhor educadora do Nordeste na 3ª edição do prêmio Professor Imprensa. A premiação é uma iniciativa do Portal Imprensa e busca homenagear os docentes de comunicação mais respeitados do Brasil.

A segunda etapa da eleição foi feita pela internet e com indicados para cada região do país. No resultado divulgado nessa semana, a professora da UFRN recebeu 28,8% dos votos. A docente também é destaque como a única professora de uma instituição pública federal a conquistar o reconhecimento neste ano por seus trabalhos na área de pesquisa e incentivo às discussões sobre comunicação que acontecem dentro das universidades.

Socorro Veloso é doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e possui Pós-Doutorado pela Universidade Nova de Lisboa de Portugal.  É professora do Departamento de Comunicação desde 2008 e também exerce a função vice-coordenadora do curso de Jornalismo da UFRN, onde também atua como  professora do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia.


Professora é acusada de amarrar e colocar crianças em cesto de lixo no interior paulista

Uma semana depois de um vigia atear fogo em uma creche em Minas Gerais, mais um episódio envolvendo crianças volta à tona nos noticiários. Uma professora de Restinga, no interior de São Paulo, é suspeita de colocar alunos de três e quatro anos dentro de cestos de lixo. Além disso, ela teria amarrado as crianças como forma de punir casos de indisciplina.

Em nota, o advogado Rui Engracia Garcia, que representa a professora, disse que as acusações são falsas e teriam a intenção de prejudicá-la. Ele diz ainda que as mães dos alunos estariam por trás da queixa, depois que foram chamadas ao colégio e tomaram conhecimento da indisciplina dos filhos.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar as denúncias, mas o delegado Eduardo Lopes Bonfim, responsável pelo caso, adiantou que as imagens das câmeras de segurança da sala de aula não registraram nenhum tipo de agressão por parte da docente.

A Prefeitura de Restinga também instaurou uma sindicância para apurar o suposto castigo e informou que a educadora foi afastada do cargo, inicialmente por 30 dias. Caso a apuração seja estendida, o afastamento pode ser prorrogado por mais um mês.