ONU saúda papa Francisco por oferecer um lar a três famílias sírias

Papa Francisco em visita a refugiados em Lesbos. Foto: EPA/O.Panagiotou
Papa Francisco em visita a refugiados em Lesbos. Foto: EPA/O.Panagiotou

A agência da ONU para Refugiados, Acnur, saúda a demonstração dada no fim de semana pelo papa Francisco. O pontífice visitou a ilha grega de Lesbos e ofereceu um lar a três famílias sírias.

O papa voltou à Roma no sábado com 12 sírios, incluindo três casais e seis crianças, de idades entre quatro e 14 anos. Duas famílias são da capital síria, Damasco, e a outra é de Deir Ezzor.

Exemplo

O Vaticano patrocinou a mudança do grupo para Roma e vai garantir um lar para os refugiados, que tinham chegado em Lesbos no dia 18 de março e esperavam ser realocados para outro país da Europa.

O alto comissário da ONU para Refugiados afirmou que o gesto do papa Francisco “é uma poderosa demonstração de solidariedade”. Filippo Grandi espera que a atitude inspire governos e sociedades.

Crise Global

Ele lamenta que “barreiras, rejeição e medo” estejam indo de encontro à situação de desespero enfrentada pelo número recorde de deslocados. Guerras, conflitos e perseguição forçaram 60 milhões de pessoas no mundo a abandonar suas casas, o maior número desde a Segunda Guerra Mundial.

O conflito na Síria é o principal percursor da crise global e 4,8 milhões de sírios buscaram refúgio em outras nações. O papa Francisco visitou refugiados e migrantes em Lesbos, na Grécia e pediu aos líderes mundiais coragem para enfrentar esta crise humanitária.

O Acnur está pedindo aos governos do mundo todo para autorizarem a entrada de refugiados, fornecendo reassentamento, vistos estudantis ou reunificação de famílias.

A agência da ONU espera que 480 mil vagas apareçam nos próximos anos, ou 10% da população de refugiados registrados. Mas até o momento, nações da União Europeia garantiram a realocação de 2,9 mil refugiados.