Preço da gasolina nas refinarias da Petrobras sobe 1,02%

Depois de uma semana sem reajustes no preço da gasolina, a Petrobras anunciou hoje (12) aumento de 1,02% no preço do combustível comercializado em suas refinarias.

A partir de amanhã (13), o litro da gasolina passará a custar R$ 2,2294, dois centavos a mais do que os R$ 2,2069 cobrados desde 5 de setembro.

No mês, o litro do combustível já subiu nove centavos, ou seja, 4,3% a mais do que custava no fim de agosto (R$ 2,1375).

*Agência Brasil



Petrobras anuncia novo reajuste no preço da gasolina

Gasolina fica mais cara

A gasolina deve ficar mais cara a partir de quarta-feira. Segundo anúncio feito pela Petrobras nesta terça-feira (4), o preço da gasolina deve subir 1,68% nas refinarias. Com a elevação, o preço da gasolina vai subir dos atuais R$ 2,17 para R$2,20. Já o preço do diesel não sofreu alteração.

Em julho do ano passado, a Petrobras adotou uma nova metodologia de reajustes, que agora acontecem até mesmo diariamente, levando em conta o câmbio e o preço internacional. É importante relembrar que não há a certeza do novo preço chegar ao consumidor, já que é aplicado pelas refinarias. Cabe aos postos decidir se o reajuste será aplicado no preço oferecido ao consumidor.

Na sexta, a Petrobras anunciou um reajuste de 13% no preço do diesel nas refinarias. O diesel não sofria alterações no preço desde o dia primeiro de junho, quando a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou tabela de referência de preços para o diesel. O congelamento dos preços do diesel foi o ponto principal para resolver a greve dos caminhoneiros em maio.



Ação popular pede suspensão de aumento de salário de ministros do STF

O advogado Carlos Alexandre Klomfahs requereu, em ação popular, que a Justiça Federal barre o aumento de salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). No documento, Klomfahs pede que ‘seja sustado o andamento do ato administrativo’ enviado ao Ministério do Planejamento para compor o Orçamento do Executivo, do Legislativo e do Judiciário que será analisado pelo Congresso.

À Justiça, o advogado afirmou que ‘além do reflexo no Poder Judiciário da União, há o efeito nos Poderes Executivo e Legislativo, que não podem ter valores diferentes entre si’.

Leia notícia completa aqui

*Fonte: Notícia ao Minuto



Câmara amplia pena para homicídio de vítimas sob proteção da Lei Maria da Penha

Aumentou a pena por homicídios contra mulheres

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta semana, o projeto de lei que aumenta em até 50% a pena para quem matar a mulher que esteja sob proteção da Lei Maria da Penha.

A proposta, de autoria do deputado Marcos Monte, do PSD de Minas Gerais, sofreu alterações na Comissão de Seguridade Social e Família. A emenda deixou o texto mais claro e tornou a pena mais rígida, já que a proposta original só previa o aumento da punição em até 1/3.

Continue lendo



Aneel aprova reajuste na tarifa de energia em 4 estados do Nordeste

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou hoje (17) reajuste nas contas de luz de consumidores de concessionárias de quatro estados do Nordeste, da RGE-Distribuidora de Energia S.A., que fornece energia a usuários de 118 municípios das regiões metropolitana e Centro-Oeste do Rio Grande do Sul, e para uma cooperativa de eletrificação rural de São José do Rio Preto, em São Paulo. Na Bahia, no Ceará, no Rio Grande do Norte e em Sergipe, as novas tarifas entram em vigor domingo (22).

Os consumidores atendidos pela Companhia de Eletricidade do Rio Grande do Norte (Cosern) terão reajuste médio de 15,61%. Para os de alta tensão, a tarifa será reajustada em 17,47% e, para os residenciais e comerciais, em 4,88%. A Cosern atende a 1,4 milhão de consumidores no estado.



Medicamentos ficarão mais caros a partir deste sábado, 31

Medicamentos mais caros para a população

O governo federal autorizou reajuste de até 2,84% no preço dos remédios para 2018, já a partir deste sábado, 31. O aumento está publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 29, em resolução da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

O reajuste será de 2,09%, 2,47% ou 2,84%, conforme o tipo do medicamento. Os índices estão abaixo da inflação de 2017, que foi de 2,95%.

O Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma) destacou em nota que, pelo segundo ano consecutivo, o reajuste dos medicamentos ficou abaixo do esperado. De 2013 a 2017, afirma a entidade, a taxa acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 36 48% ante 32,51% dos reajustes médios autorizados pelo governo para remédios.



Coremas tomou 54cm no final de semana passado

O articulador estadual do Seapac da Diocese de Caicó e membro da diretoria do CBH PPA, José Procópio de Lucena, disse no início desta semana ao Blog Sidney Silva que o açude de Coremas teve até a manhã de segunda-feira (29), um aumento de 54cm em sua lâmina d’água.

O que proporcionou o aumento foram as chuvas ocorridas na bacia da barragem. Os  centímetros equivalem a 2.207.370,40 de metros cúbicos.

Nesta segunda-feira, o volume de Coremas era de 23 milhões, 826 mil e 124 metros cúbicos, ou 4,03%.



Aumento: Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias

Os preços da gasolina e do diesel – comercializados nas refinarias – aumentaram hoje (12) 1,4% e 0,7% respectivamente, de acordo com informação da Petrobras.

Para este sábado (13), a empresa já anunciou nova variação nos preços dos dois combustíveis: a gasolina e o diesel terão redução de 0,7%.

As variações de preço fazem parte de reajustes frequentes praticados pela Petrobras, “em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional”, segundo a estatal.

O preço final ao consumidor, nas bombas, dependerá de cada empresa revendedora e dos próprios postos de combustíveis. O histórico das últimas variações praticadas pela Petrobras está disponível na página da estatal na internet.



Seguro-desemprego é reajustado em 2,07%; parcela mais alta sobe para R$ 1.677

Os trabalhadores demitidos há até cinco meses e que ganhavam mais de um salário mínimo receberão mais dinheiro do seguro-desemprego. O valor do benefício superior ao mínimo foi reajustado em 2,07%, equivalente à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano passado. Com o aumento, o teto mensal do benefício subirá de R$ 1.643,72 para R$ 1.677,74, diferença de R$ 34,02. O piso do seguro-desemprego equivale a um salário mínimo, que passou de R$ 937 para R$ 954 em 1º de janeiro, alta de 1,81%.

Para quem recebia mais que o mínimo, o valor do seguro-desemprego é calculado com base em três faixas salariais. O segurado demitido que ganhava até R$ 1.480,25 recebe 80% do salário médio limitado ao salário mínimo. De 1.480,26 a R$ 2.467,33, o valor equivale a R$ 1.184,20 mais 50% do que exceder R$ 1.480,25. Quem ganhava mais que R$ 2.467,33 recebe o teto de R$ 1.677,74.

Pago aos trabalhadores dispensados sem justa causa com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), o seguro-desemprego é calculado sobre a média do salário dos três meses anteriores à demissão. Se o empregado tiver sido demitido antes desse período, o benefício é definido com base na média de dois meses ou um mês.

O pagamento é limitado a três, quatro ou cinco parcelas, dependendo do período trabalhado antes da demissão.



Preço médio da gasolina sobe na primeira semana do ano

Aumento no preço da gasolina na primeira semana do ano
Aumento no preço da gasolina na primeira semana do ano

Do G1 – O preço médio da gasolina para o consumidor final subiu na primeira semana do ano, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (9) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).No ano passado, o preço subiu 9%. O valor médio subiu de R$ 4,099 na última semana de 2017 para R$ 4,151, no décimo aumento consecutivo.

Na mesma semana, a Petrobras diminuiu o preço da gasolina nas refinarias em 0,53%. A medida faz parte da política de preços da empresa, que reajusta os valores quase diariamente com o objetivo de acompanhar as cotações internacionais. O repasse ou não para o consumidor final depende dos postos.

A redução dos preços pela estatal na primeira semana do ano coincide com o recuo das cotações internacionais do petróleo, com redução de 0,5% do Brent, utilizado como referência internacional.



Salário mínimo será de R$ 954 a partir de 1° de janeiro

Aumento do salário mínimo passa a vigorar no dia 1 de janeiro de 2018

O salário mínimo em 2018 será de R$ 954, conforme decreto assinado hoje (29) pelo presidente Michel Temer. O novo salário valerá a partir de 1º de janeiro. O decreto sairá em edição extra do Diário Oficial da União ainda nesta sexta-feira.

O valor divulgado é R$ 11 menor do que o previsto inicialmente no orçamento de 2018, aprovado no Congresso no valor de R$ 965. O salário-mínimo atual é de R$ 937. O reajuste de 1,81% segue a previsão do Índice de Preços ao Consumidor (INPC).



Petrobras anuncia reajuste de 1,7% no preço da gasolina nas refinarias

Preço da Gasolina e Diesel sob mais uma vez nas refinarias

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (28) mais um aumento nos preços dos combustíveis nas refinarias. A partir desta sexta (29), a gasolina ficará 1,7% mais cara. O diesel vai subir 1,1%.

Desde julho a companhia adotou uma nova política de reajuste de preços para, segundo a petroleira, acompanhar o mercado internacional.

O reajuste se refere aos preços para as refinarias. O repasse ou não do aumento para o consumidor final depende dos postos de combustíveis.

De acordo com o Conselho Nacional de Política Fazendária, a gasolina mais cara no Brasil é a do Acre, seguido de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Até sexta (22) da última semana, o valor médio da gasolina chegou a R$ 4,089, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).



Petrobras aumenta em 5,3% preço do gás usado na indústria e no comércio

A Petrobras decidiu reajustar em 5,3%, na média, os preços do gás liquefeito de petróleo, o GLP, destinado ao uso industrial e comercial. O aumento entra em vigor neste sábado (2).

De acordo com a estatal, o reajuste é resultado da nova política da empresa que acompanha as oscilações dos preços no mercado internacional. A alteração que entra em vigor, neste sábado, foi necessária, segundo a empresa, por conta do aumento das cotações internacionais de GLP, que acompanharam a alta do petróleo do tipo Brent, comercializado na Bolsa de Londres e que tem referência óleo extraído no Mar do Norte e no Oriente Médio.

A Petrobras ressaltou, porém, que esse reajuste não se aplica aos preços de GLP destinado ao uso residencial, comercializado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos conhecido por gás de cozinha.



Gasolina e diesel sofrrem novo reajuste e ficam ainda mais caros no país

Gasolina e Diesel sofrem novo reajuste

A partir da meia-noite desta quarta-feira, (08), a gasolina e o diesel ficaram ainda mais caros para os consumidores brasileiros. Desta vez, os reajustes serão de 2,5% para o diesel e 0,6% para a gasolina. Este é o segundo reajuste de preços dos combustíveis só nesta semana.

Segundo a Petrobras, “o reajuste foi causado principalmente pelo aumento das cotações dos produtos e do petróleo no mercado exterior, influenciado pela geopolítica internacional, assim como pela continuidade da política de contenção da oferta pela Organização dos Países Produtores de Petróleo, a Opep”.

Nesta terça-feira, o valor dos combustíveis já havia sofrido reajuste. Quem foi abastecer, encontrou a gasolina 2,3% mais cara e o diesel a 1,9% acima do preço em diversas cidades brasileiras.



RN: Vestuário, Calçados e Supermercados e Hipermercados puxarão aumento de contratações temporárias

Vestuário, Calçados e Supermercados e Hipermercados puxarão aumento de contratações temporárias neste final de ano

Com o fim do ano se aproximando, os setores de Comércio e Serviços já se preparam para receber consumidores dispostos a gastar com as compras de Natal, possíveis reformas e outros itens. Para atender os consumidores, estão previstas a criação de mais de quatro mil empregos temporários no Rio Grande do Norte para o final de 2017. O número é estimado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN, com base em dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Serão criadas exatas 4,3 mil vagas temporárias no estado, o número é 10% maior do que o que verificado em 2016. Os segmentos que mais irão contratar são Vestuário, Calçados e Supermercados e Hipermercados. “Além da movimentação maior devido as compras de final de ano, o aumento dos empregos no final de ano é resultado das mudanças na legislação trabalhista que entram em vigor no dia 13 de novembro. A reforma trabalhista criou possibilidades para essas contratações temporárias, como também para novas modalidades de trabalho, como Home Office, trabalho intermitente, deu uma maior flexibilidade para o contratante e para o prestador de serviço”, comentou o presidente da Fecomércio e diretor da CNC, Marcelo Queiroz.

Para o Brasil, a CNC prevê a abertura de 73,1 mil trabalhos temporários, após dois anos consecutivos de queda. Em 2016, foram criados 66,7 mil postos de trabalho. Os segmentos que mais irão contratar, como no Rio Grande do Norte, serão os de vestuário e no de hiper e supermercados. Além de serem os “grandes empregadores” do varejo, esses segmentos costumam responder, em média, por 60% das vendas natalinas.

Diante da perspectiva de retomada lenta e gradual da economia e do consumo dos brasileiros para 2018, a taxa de contratação desses trabalhadores temporários deverá a crescer após as festas de fim de ano.

Ao contrário da média dos dois últimos anos, quando apenas 15% dos trabalhadores contratados em regime temporário foram efetivados após o fim do ano, a reação mais positiva da economia deverá elevar esse percentual para cerca de 27%”, disse Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC. No período pré-crise, a taxa média de efetivação foi de 32,5%.