RN: Investigação da Polícia Civil resulta em condenação de integrantes de organização criminosa

Uma investigação realizada pela Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) resultou na condenação de oito pessoas integrantes de uma organização criminosa de atuação interestadual especializada em crimes contra instituições financeiras. A Operação “Marco Zero” foi deflagrada em 22 de novembro de 2017, com a prisão de 09 pessoas investigadas por ataques a agências bancárias na modalidade explosão, conduta também conhecida “novo cangaço”. O julgamento do processo pela Justiça Federal da 5ª Região, que condenou todos os envolvidos, aconteceu no início deste ano, ratificando o trabalho realizado pela Polícia Civil.

A organização criminosa, caracterizada pelo uso de extrema violência contra as forças de segurança e utilização de armas de grosso calibre, era chefiada por Roberto Menezes de Queiroz, que foi preso pela Polícia Civil logo após a deflagração da Operação. A investigação que prendeu o grupo criminoso durou 05 meses e resultou no encaminhamento do inquérito policial para a Justiça Federal do Rio Grande do Norte. Durante as investigações, quatro criminosos integrantes da organização criminosa: Eduardo Ferreira Martins, Osmarindo Saraiva do Nascimento, Cleudson Whebster da Silva, conhecido como “Choquito”, e Messias Araújo da Silva faleceram em confrontos policiais.

Os outros envolvidos foram condenados: Roberto Menezes de Queiroz, reclusão de 70 anos e 01 mês e o pagamento de 1.514 dias-multa; John Breno Rosendo da Silva, reclusão de 16 anos e o pagamento de 242 dias-multa; André Marques de Albuquerque, conhecido como “André Cabeça”, reclusão de 16 anos e o pagamento de 242 dias-multa; Arthur Kennedy Martins, reclusão de 16 anos e o pagamento de 242 dias-multa.

Paulo Alana Neves Souza dos Santos, conhecido como “Paulinho”, reclusão de 16 anos e o pagamento de 242 dias-multa; Jeydson Bezerra Pegado, conhecido como “Gordo” e/ou “Barrão”, reclusão de 59 anos e 03 meses e o pagamento de 1.302 dias-multa; Suênio Mafra Bassani Valle, conhecido como “Cocão”, reclusão de 59 anos e 03 meses e o pagamento de 1.302 dias-multa e Cleanto Franco da Silva, conhecido como “Irmão”, reclusão de 13 anos e 07 meses e pagamento de 72 dias-multa.

Caso

O grupo inicialmente estava sendo investigado por explodir as agências no município de Touros/RN, crimes ocorridos em 03 de julho de 2017. O aprofundamento das investigações indicou que a organização criminosa também praticou o mesmo tipo de crime contra agências bancárias em João Câmara, em 05 de abril de 2017; Sítio Novo, em 04 de maio de 2017; São Miguel 01 de junho 2017; Goianinha 09 de junho de 2017; Canguaretama, em 30 de junho de 2017; Novo Lino/AL, em 02 de julho de 2017 e Belém e Malta/PB, em 29 de julho de 2017.

Logo após a operação, evidenciou-se uma redução de aproximadamente 40% dos crimes desta natureza no Estado do Rio Grande do Norte.



MP diz que homicídio de Zaira Cruz foi quadruplamente qualificado

As qualificadores que pesam contra o cabo da Polícia Militar, Pedro Inácio Araújo de Maria, de 36 anos, na denúncia do oferecida pelo Ministério Público, estão previstas no artigo 121 do Código Penal Brasileiro.

Inciso terceiro do parágrafo 2º – Quando o homicídio é praticado com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;

Inciso quarto do mesmo parágrafo – Quando o homicídio é praticado à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido;

Inciso quinto do parágrafo 2º – Quando o homicídio é praticado para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime:

Inciso sexto também do 2º § – Quando o crime é praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino.



MPRN denuncia policial militar pela morte de Zaira Cruz; Crime foi quadruplamente qualificado

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) denunciou à Justiça potiguar o policial militar Pedro Inácio Araújo de Maria pelos crimes de estupro e homicídio quadruplamente qualificado pela morte da estudante Zaira Dantas Silveira Cruz. O crime aconteceu na cidade de Caicó/RN, no dia 2 de março deste ano, durante o período do carnaval. A denúncia foi protocolada no Juízo da 3ª vara da comarca de Caicó nesta terça-feira (2).

No documento, a 2ª Promotoria de Justiça de Caicó requer que o denunciado seja pronunciado pela prática do estupro consumado e homicídio quadruplamente qualificado, para submetê-lo a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da comarca de Caicó, em que deverá ser condenado. Pedro Inácio continua preso no Comando-Geral da Polícia Militar.

Segundo o inquérito policial do caso, na madrugada do dia 2 de março de 2019, entre 2h14 e 4h, em local ainda não esclarecido, no interior do veículo, o Pedro Inácio constrangeu Zaira Cruz, mediante violência física extrema, com chutes, agressões e imobilização, e a estuprou.

Em seguida, o denunciado assassinou a vítima mediante asfixia por esganadura, com o objetivo de assegurar a ocultação do crime sexual, tendo agido à traição e movido por razões da condição do sexo feminino da vítima.

Para o MPRN, ficou demonstrado que o crime de homicídio praticado por Pedro Inácio também teve por objetivo assegurar a ocultação do crime sexual praticado contra a vítima, uma vez que, caso não tivesse sido assassinada, Zaira Cruz comunicaria o crime de estupro às autoridades policiais.

“Os indícios formam um corpo robusto, uníssono, concatenado e que aponta para o denunciado como sendo o autor do delito”, destaca o MPRN na denúncia. A prova objetiva da materialidade dos crimes de estupro e homicídio qualificado emergem dos depoimentos constantes dos autos, do Relatório de Local de Encontro de Cadáver, do Boletim de Ocorrência, do Laudo de Exame de Conjunção Carnal, do Laudo de Exame de Ato Libidinoso e do Laudo de Exame Necroscópico, todos inclusos no Inquérito Policial.

A denúncia do MPRN também requer que o processo tenha prioridade de tramitação, conforme prevê o Código de Processo Penal, uma vez que se trata de crime hediondo. A Promotoria de Justiça também requer que a Justiça determine a intimação do denunciado para comparecer à audiência de instrução, em que deverão ser inquiridos os declarantes e testemunhas, esclarecimentos dos peritos, para interrogar o denunciado, seguindo-se a ação penal.



Polícia Civil procura caicoense suspeito de ter participado de homicídio em Neópolis

Caicoense, Thiago Portugal é procurado pela Polícia – (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) pede ajuda da população para que envie informações anônimas que possam ajudar a localizar o caicoense, Tiago Vinícius Silva, conhecido como “Comendador, Playboy ou Tyago Portugal”. Ele foi indiciado pela DHPP, por ser um dos 13 homens suspeitos de participaram do homicídio de Ranieri Pablo da Silva Azevedo, vulgo “Pequeno”, assassinado no dia 04 de agosto de 2018, no bairro de Neópolis, próximo a dois condomínios da Zona Sul de Natal. O homicídio de Ranieri resultou na deflagração da Operação Clowns, que conseguiu identificar todos os suspeitos pelo crime.

As investigações revelaram que, na ocasião do crime, 13 pessoas “convocaram” a vítima para um “julgamento” feito por eles, que resultou na decisão de matar Ranieri Pablo. A vítima foi executada sumariamente, após ter sido arrastada à força para dentro de um veículo Fox de cor preta, de onde foi jogada e alvejada por disparos de arma de fogo.

Ao todo, 13 pessoas participaram do homicídio, sendo 2 adolescentes e 11 adultos. Dos 13 suspeitos, 7 adultos foram presos e dois adolescentes foram apreendidos, restando apenas 2 foragidos: Tiago Vinícius Silva, “Comendador ou Playboy ou Tyago Portugal” e Jefferson Cleyton Fernandes, “vulgo Bomba ou Raposo”.

Com a identificação e o indiciamento de Tiago Vinícius Silva, todas as 13 pessoas que participaram do homicídio de Ranieri Pablo, que resultou na Operação Clowns, foram identificadas. O nome da operação (“Clowns”, palhaço em inglês) é alusiva a um dos símbolos de uma facção, pois os indiciados também são suspeitos de integrarem uma facção e executaram a vítima seguindo os trâmites do “estatuto” da facção.



Polícia Civil, GTC e Cipam apreendem drogas na zona oeste de Caicó

Droga foi encontrada por cão farejador escondida dentro de cano

Policiais civis com o apoio do Grupo Tático Operacional e da Cipam, cumpriram nesta segunda-feira (01), mandados de buscas e apreensão na Zona Oeste de Caicó e apreenderam droga. Foram cumpridos três mandados.

O cão farejador encontrou a droga, pequena porção de crack e 15 papelotes de maconha em um cano de esgoto próximo a uma residência. Ninguém foi preso.



Caso F. Gomes: Advogado Aneziano Ramos volta a defender o Gordo da Rodoviária

A juíza Eliana Alves Marinho, marcou para o próximo dia 15 de abril, às 08hs, no plenário do Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal, o julgamento popular dos réus, Lailson Lopes (Gordo da Rodoviária) e Gilson Neudo Soares do Amaral, ambos acusados de serem mandantes da morte do jornalista F. Gomes, assassinado na calçada de sua casa no dia 18 de outubro de 2010, em Caicó.

Neste dia 1 de abril, olhando o processo, é possível ver o nome do advogado Aneziano Ramos, que já fez a defesa de Laison mediante pagamento e que foi dispensado pelo mesmo em plena sessão do júri. Agora, Aneziano aparece como defensor dativo, ou seja, foi designado pela Justiça.

Também estão nomeados para fazer a defesa do réu, os defensores públicos, Serjano Marcos Torquato Vale e Paula Vasconcelos de Melo Braz. Ainda consta o nome de Mateus Queiroz Lopes de Melo Martins.

Depois do ocorrido no último dia 27 de março, quando a juíza deu voz de prisão a Lailson por ele ter, mais uma vez, recusado defesa alegando falta de confiança, a sessão deve ocorrer mesmo na data prevista.

O réu aguarda pelo próximo Júri em uma das celas do Centro de Detenção Provisória da Zona Sul em Natal.



Dono de bar é assassinado com tiros na cabeça em Mossoró

*O Câmera

Local do crime aonde foi morto o comerciante (na foto em destaque) com aglomeração de curiosos – (FOTO: O Câmera)

O empresário, Verton Fernandes Maropo, de 39 anos, foi assassinado dentro do bar 3º Turno, de sua propriedade, localizado na Avenida Petrônio Portela, no Bairro Abolição IV, em Mossoró/RN. O crime foi registrado por volta das 09h da noite deste domingo (31).

A vítima que residia no Bairro Santa Delmira, foi alvejado duas vezes com tiros na cabeça e morreu no local.

O suspeito, de acordo com relatos de testemunhas, entrou no estabelecimento, pediu uma cerveja, dois espetinhos, passou 40 minutos no bar antes de atacar a vítima e fugiu de moto.

A polícia investiga se a morte está relacionada com uma briga em que a vítima se envolveu recentemente aonde foi, inclusive, ameaçado de morte.

O crime vai ser investigado pela Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa – DHPP.



Polícia prende homem com droga na cidade de São João do Sabugi

Juarez Neto foi preso pela Polícia e com ele foi encontrada a maconha

Policiais civis das delegacias Regional e Municipal de Caicó, prenderam na manhã desta sexta-feira (29), JUAREZ DANTAS DE BRITO NETO (NETINHO), portando drogas. A ação foi registrada na cidade de São João do Sabugi/RN.

Os policiais cumpriram mandado de busca e apreensão na casa de Netinho e lá, foram encontrados pequenos tabletes de maconha, um punhal e um aparelho de celular. Ele foi preso em flagrante.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Caicó, aonde foi registrado o flagrante.




RN: PF apreende mala com 266 mil reais e dinheiro estrangeiro na Operação Tiro

Dinheiro apreendido pela Polícia Federal na Operação Tiro

Durante a realização da Operação Tiro, deflagrada nesta quinta-feira (28), pela Polícia Federal em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal, foram apreendidos R$ 265.900,00 em dinheiro dentro de uma mala. Na mesma casa, os agentes ainda encontraram, € 2.330,00 (euros) e mais $ 10.825,00 (dólares).

A ação, apura desvio de recursos públicos, dispensa indevida de licitação e lavagem de dinheiro no município de Touros em 2016, e aconteceu em Parnamirim e Natal.

Mala com dinheiro apreendido pela PF

De acordo com a PF, há três anos, a Prefeitura de Touros recebeu verba de emenda parlamentar no valor aproximado de R$ 270 mil destinada à aquisição de medicamentos, tendo sido, em sequência, sem prévia licitação, celebrado contrato com a empresa ora investigada. Ressalte-se que, a despeito do pagamento realizado em favor dessa pessoa jurídica, não há registros da efetiva entrega dos medicamentos.

Afastado o sigilo bancário da empresa sob suspeita, as investigações, tomando por base a análise de dados, apontaram que no dia seguinte ao crédito do valor da emenda parlamentar, a prefeitura repassou à empresa investigada cerca de R$ 195 mil e, dias depois, novos repasses ocorreram em favor da mesma empresa, desta feita, em valores que somados alcançaram mais R$ 61 mil, sendo que o rastreamento das operações bancárias tornou possível identificar um dos beneficiários da verba pública desviada.



Polícia Civil prende em Parnamirim homem com material pornográfico envolvendo criança e adolescente

Policias civis da Delegacia Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente deram cumprimento, na manhã desta quinta-feira (28), a mandado de busca e apreensão em desfavor de um dos alvos da Operação Luz da Infância 4, Fabrício Guto Macedo de Souza, 34 anos. Ele foi preso em flagrante delito, em sua residência, localizada em Emáus, Parnamirim, por armazenar, disponibilizar e transmitir material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. No imóvel, foram apreendidos equipamentos de informática que serão encaminhados ao ITEP para exame pericial. Fabrício Guto confirmou ser o responsável pelo material pornográfico encontrado no seu computador no momento da diligência.

Computador apreendido também armazenava material pornográfico

O suspeito já havia sido preso em flagrante pela Polícia Federal, em Parnamirim, em junho de 2018, por possuir e armazenar material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. Na ocasião, em razão de o crime ser afiançável, foi arbitrada fiança e ele foi liberado.

A Operação Luz da Infância 4 está sendo realizada em todo território Nacional e é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). A força-tarefa envolveu a Polícia Civil do Rio Grande do Norte e procurou acusados de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet.

Os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas do MJSP, com base em elementos informativos coletados em ambientes virtuais, que apresentavam indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva. Esse conhecimento produzido foi repassado às Polícias Civis – em especial às delegacias de proteção à criança e ao adolescente, e de repressão a crimes informáticos – que, por sua vez, instauraram inquéritos e solicitaram aos juízes locais para expedição dos mandados de busca e apreensão.

As ações simultâneas mobilizam um efetivo de mais de 1500 policiais em todo o país. A ação desencadeada é decorrente de cooperação mútua entre a Diretoria de Inteligência e a Diretoria de Operações, ambas vinculadas à Secretaria de Operações Integradas do MJSP. Houve também colaboração da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, por meio da Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE), oferecendo cursos e capacitações que subsidiaram as quatro fases da Operação Luz na Infância.



Polícia Civil prende casal suspeito de planejar crime que resultou na morte da policial militar de Santa Catarina

Casal foi preso pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) divulgou, nesta quinta-feira (28), que prendeu o casal suspeito de planejar o crime que causou o assassinato da soldado da Polícia Militar de Santa Catarina, Caroline Pletsch, 32 anos, morta no dia 26 de março de 2018. Weverton Lendário Gomes da Silva, vulgo Verto, 34 anos e Raíssa Torres Lima de Sousa, 20 anos, conhecida como Xuxinha, fazem parte do grupo de investigados, que organizou e prestou auxílio no dia do crime. O casal foi preso nesta quarta-feira (27).

O suspeito de ter efetuado os disparos, João Victor da Silva Pereira, 18 anos, já havia sido preso em abril de 2018. Weverton Lendário e Raíssa Torres eram foragidos da Justiça e estavam sendo procurados. “Nossas investigações revelaram que Weverton era o proprietário do veículo que foi utilizado no dia do crime e que ele também foi responsável por esconder os autores do homicídio. A companheira dele, Xuxinha, também autora intelectual do crime, foi a condutora do veículo, que levou o grupo até o local onde a policial militar foi assassinada”, detalhou o delegado Rysklyft Factore, responsável pelo inquérito que investigou o crime.

O crime – A ação criminosa do latrocínio, ocorreu no dia 26 de março de 2018, em uma pizzaria na Zona Norte de Natal. O marido da policial militar, o sargento Marcos Paulo também acabou sendo atingido, mas sobreviveu.

De acordo com o delegado Rysklyft Factore, João Victor e um adolescente entraram no estabelecimento para roubar e perceberam que o sargento Marcos Paulo estava armado. Primeiro houve uma luta corporal contra o sargento Marcos Paulo e a soldado Caroline ainda chegou a defender o marido usando uma cadeira contra João Victor, momento em que ele conseguiu disparar o tiro fatal nela. Após ter atingido a soldado, João Victor ainda disparou tiros contra o sargento Marcos Paulo. Após os disparos, a dupla conseguiu subtrair o revólver que era do sargento e saíram correndo.



Polícia Civil realiza operação em evento de facção criminosa e apreende drogas e munições

Material apreendido pela Polícia na operação

Policiais da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Parnamirim realizaram, na noite de quarta-feira (27), uma operação policial em um evento de uma facção criminosa. Durante a ação, que aconteceu na Comunidade Toca da Raposa, no bairro de Nova Parnamirim, foram apreendidas porções de maconha e cocaína, balança de precisão, fogos de artifício e munições calibre 12. Na ocasião, houve confronto e os suspeitos conseguiram fugir.

A polícia solicita a ajuda da população para envio de informações que possam auxiliar nas investigações. Qualquer informação poderá ser comunicada através do disque denúncia anônimo, número 181.



Polícia Civil prende suspeito pelo latrocínio de policial militar


Janderson Ferreira Leones, 24 anos , é suspeito do crime

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu, na manhã desta quinta-feira (28), Janderson Ferreira Leones, 24 anos, suspeito da morte do sargento da Polícia Militar, José Edivaldo do Nascimento, no dia 21 de abril de 2018, no bairro Tirol, em Natal. Janderson foi detido mediante o cumprimento de um mandado de prisão temporária, no Passo da Pátria, Zona Leste de Natal.

Na ocasião, os policiais também cumpriram mandado de busca e apreensão na residência do investigado, quando foi encontrada certa quantidade de “crack”, razão pela qual Janderson Ferreira foi preso em flagrante delito pelo crime de tráfico de drogas. Em interrogatório prestado após a prisão, Janderson Ferreira confessou que atirou na vítima, após ter anunciado o assalto, e que não sabia que se tratava de um policial militar.

Armas foram apreendidas em poder do suspeito

No momento das diligências, no Passo da Pátria, os policiais civis localizaram um imóvel que era utilizado como uma fábrica de armas artesanais. No local, foram apreendidos diversos instrumentos como furadeiras e outros apetrechos usados na montagem. O responsável pelo imóvel não foi encontrado.



Polícia Civil prende em Natal foragida da justiça do Ceará

Dayane Pinheiro de Souza

Policiais civis do 1º Distrito Policial de Natal prenderam, na manhã desta quinta-feira (28), no bairro Cidade Alta, Dayane Pinheiro de Souza, 24 anos.

Em desfavor dela, há um mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça do Ceará, em razão de condenação a uma pena de 08 anos no regime semiaberto pelos crimes de tráfico de drogas, assalto e adulteração de veículo.

Dayane Pinheiro foi encaminhada para o Centro de Detenção Provisória de Emaús.