Operação conjunta do MPRN e PM realiza prisões e apreende drogas em Mossoró

Ação foi deflagrada nesta quinta-feira (13) e cumpriu 5 mandados de prisão preventiva e 7 mandados de busca

Uma ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e da Polícia Militar foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (13) com o objetivo de combater a criminalidade na região compreendida pelos Municípios de Baraúna e Mossoró.

A operação Contenção II, em alusão à necessária atuação do Estado para reprimir o tráfico de drogas na região, cumpriu 7 mandados de busca e apreensão e 5 mandados de prisão preventiva. Dois alvos já cumprem pena no sistema prisional.

No curso do cumprimento dos mandados de busca e apreensão, um foragido da Justiça que estava usando documento falso, com mandado de prisão em aberto decretado pela Vara das Execuções penais de Mossoró, foi preso em flagrante com munições, drogas, balança de precisão e material para embalagem.

As investigações prosseguirão no âmbito do Ministério Público e da Polícia Civil.

Disque Denúncia 127

O MPRN disponibiliza o Disque Denúncia 127 para denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada.

Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para disque.denuncia@mprn.mp.br

Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.



Polícia Civil deflagra Operação “Pecúnia Doc” e cinco servidores do DETRAN/RN são afastados dos cargos

Uma pessoa foi presa em flagrante, dois despachantes foram descredenciados e dois “atravessadores” estão impedidos de entrar na sede do órgão

Entrevista coletiva para detalhar a operação aconteceu em Natal

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Patrimônio Público e do Combate à Corrupção (DECCOR), deflagrou, na manhã desta sexta-feira (7), a Operação “Pecúnia Doc”. A ação resultou no afastamento de cinco servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN) e na prisão em flagrante de uma pessoa, pela suspeita da prática do crime de posse irregular de arma de fogo. Além disso, dois despachantes foram descredenciados e dois “atravessadores” estão impedidos de entrar na sede do Detran/RN.

A investigação já ocorria há mais de um ano. Os envolvidos, dois servidores efetivos e três comissionados, serão investigados pela suspeita da prática do crime de corrupção passiva. Os despachantes e “atravessadores” serão investigados por corrupção ativa. Os valores das propinas variavam entre R$ 15,00 a mais de R$ 1.000,00, a depender do tipo de vistorias a serem realizadas.

Ainda segundo as investigações, a prática dos crimes desta natureza era muito comum. Um dos “atravessadores”, que não possuí vinculo, por meio de credenciamento, com órgão, atuava há mais de 20 anos nesse sistema de corrupção.

Durante a coletiva de imprensa, estiveram presentes a delegada-geral, Ana Cláudia Saraiva, o delegado-geral adjunto, Odilon Teodósio, o diretor da Grande Natal (DPGRAN), e a delegada titular da DECCOR, Karla Viviane.



Operação do MPRN, Polícia Civil e PM combate atuação de organizações criminosas no Oeste potiguar

Operação Contenção foi deflagrada nesta quinta (6) nas cidades de Apodi, Umarizal e Mossoró. Armas, drogas e munições foram apreendidas

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Polícia Civil e a Polícia Militar deflagraram nesta quinta-feira (6) uma operação conjunta para combater a atuação de organizações criminosas na região Oeste potiguar. Armas, drogas e munições foram apreendidas na ação batizada de Contenção, em alusão à necessária atuação repressiva do Estado para conter uma disputa regional sangrenta entre duas organizações criminosas que resultou em diversas mortes desde o final do ano passado. Três pessoas foram presas em flagrante.

Continue lendo


Operação do Gaeco apreende armas, munições e cigarros em cidades do Seridó

Na manhã desta terça-feira (04), o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado – GAECO/Seridó, deflagrou uma operação com o apoio da Polícia Militar, nas cidades de Cerro Corá e Lagoa Nova. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão e visando o combate ao crime organizado.

As informações preliminares dão conta que foi apreendido vasto material ilícito como, armas, drogas, cigarros contrabandeados e munições. Inclusive, uma fábrica de armas artesanais foi fechada e o proprietário preso.

O Ministério Público ainda não se pronunciou sobre a operação.



Operação do MPRN investiga tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Jardim de Piranhas

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos com o apoio da Polícia Militar. Ação combate uma organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios

O GAECO, com o apoio da Polícia Militar, deflagrou uma operação nesta quinta-feira (28) para investigar os crimes de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Jardim de Piranhas. A ação combate uma organização criminosa que atua dentro e fora de unidades prisionais potiguares.

Ao todo, foram cumpridos 5 mandados de busca e apreensão em endereços localizados em Natal e no município de Jardim de Piranhas. As provas coletadas serão objeto de análise. O processo segue em segredo de Justiça.

Denúncias

O MPRN reforça à população potiguar que recebe denúncias anônimas de crimes. As comunicações podem ser feitas pelo Disque Denúncia 127, que é um canal direto do MPRN para denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada.

Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para disque.denuncia@mprn.mp.br

Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.



Caicó: Advogado que defende empresário alvo de ação da Polícia Federal emite nota

A empresa A Pescaça – que atua no ramo há 30 anos atendendo Caicó e região – informa que sempre cumpriu os preceitos e normais legais, pautando sua conduta nas melhores práticas comerciais.

Houve, no dia de hoje, quarta-feira (20), uma fiscalização por parte da Polícia Federal, no intuito de aclarar alguns pontos em relação a comercialização de armas e munições.

Atestando a idoneidade da empresa, nada de ilícito foi encontrado/apreendido na empresa, que sempre se colocou à disposição dos entes fiscalizadores (Exército e Polícia Federal), demonstrando que mantém ilibada sua conduta comercial, como o vem fazendo nas últimas 03 décadas.

Diferentemente do que foi erroneamente veiculado em alguns veículos de imprensa, a loja em questão não comercializa armas ou munições de calibre restrito e seu sócio administrador nunca fora conduzido ou intimado à comparecer em algum órgão da PF, seja hoje, seja em momento pretérito.

Ariolan Fernandes, advogado



PF investiga venda irregular de munições por empresário caicoense

Policiais federais cumpriram mandados em Caicó – (FOTO: Sidney Silva)

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, 20/11, em Caicó/RN, a operação Bala Perdida com o objetivo de coletar evidências do crime de venda irregular de munições de calibres diversos.

Foram cumpridos 5 mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 9ª Vara Federal em endereços residenciais e comerciais de Caicó.

A investigação, iniciada há dois meses pelas Delegacias de Repressão ao Tráfico de Armas – DELEPAT e Delegacia de Controle de Armas e Químicos – DELEAQ, ambas da PF, aponta que aproximadamente 500 mil projéteis podem ter sido comercializados irregularmente nos últimos 5 anos, conforme dados fornecidos pelo Exército Brasileiro.



Operação da PF apura desvios de recursos públicos em Ceará-Mirim, RN

Agentes saíram as ruas na manhã desta segunda-feira para mais uma operação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (4) a operação Boca da Mata, destinada a apurar fraudes a dispensas em licitações e desvio de recursos públicos no município de Ceará-Mirim, na Grande Natal. O objetivo da operação foi reunir provas para verificar se houve pagamento de vantagem indevida a servidores públicos.

Cerca de 30 policiais federais cumpriram seis mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 15ª Vara Federal em Ceará-Mirim e também em Natal. A operação foi batizada de Boca da Mata como referência à cidade onde teriam ocorrido os fatos investigados.

A ação é um desdobramento da operação Guaraíras, deflagrada em setembro de 2018, que apurou o surgimento de indícios de fraude na contratação do serviço de transporte por parte da prefeitura de Ceará-Mirim.

De acordo com o que foi apurado nos levantamentos feitos desde o ano passado pela Polícia Federal, houve ajuste indevido para a contratação do serviço de transporte escolar e de saúde no município investigado.



Operação do MPRN apura desvios em contratos da Câmara Municipal de Guamaré

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta segunda-feira (4) a operação Penitência. O objetivo é apurar um esquema de desvio de dinheiro público através de fraudes em licitações na Câmara Municipal de Guamaré. A operação Penitência é desdobramento da operação 10º Mandamento, deflagrada pelo MPRN em 27 de maio passado também com o objetivo de apurar crimes contra o patrimônio público no período em que Emilson de Borba esteve à frente da Câmara de Guamaré. Emilson de Borba, conhecido por Lula, continua preso desde a deflagração da operação 10º Mandamento.

Continue lendo


Operação conjunta desarticula quadrilha do “novo cangaço” responsável por assaltos a bancos e explosões de carros forte

Armas e munições foram apreendidas na ação

As Policiais Rodoviária Federal, Civil, Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Estado da Paraíba realizaram na manhã desta quinta-feira (24), a Operação Ladinos, com o objetivo de cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de pertencer a organização criminosa que age na região nordeste do país em ocorrências de assaltos a bancos e carros fortes.

Foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão e 23 de prisão. Ao todo foram presas dezesseis pessoas, onze armas de fogo sendo elas quatro revolveres, uma pistola, duas espingardas calibre 12 mm, duas espingardas calibre 36 mm e dois fuzis calibre 7,62 mm. Os mandados foram cumpridos nas cidades de Catolé do Rocha, Lagoa, Jericó, Santa Cruz e Pombal no Sertão paraibano, e ainda na região metropolitana de João Pessoa. Ao todo, 180 policiais de todas as instituições envolvidas e bombeiros militares foram empregados na operação.

Polícias atuaram juntas na ação

Segundo as investigações, a quadrilha desarticulada na Operação foi responsável por um estouro a carro forte em Jericó em julho deste ano, assaltos aos bancos Bradesco do Brejo Santo, São João do Rio do Peixe, Bom Sucesso e uma tentativa de assalto também ao banco Bradesco de Jericó. Uma das características do grupo é o uso de extrema violência nas ocorrências e o elevado poder de fogo.

A ação integrada faz parte das estratégias adotadas para intensificar as ações de enfrentamento ao crime organizado no estado da Paraíba e impedir a expansão de organizações criminosas que atuam em vários Estados do país.



PF cumpre 14 mandados de prisão contra fraudes na Receita

A Polícia Federal (PF) cumpre hoje (2) nove mandados de prisão preventiva e cinco de prisão temporária contra uma organização criminosa que atua na Receita Federal. Além disso, os agentes cumprem 39 mandados de busca e apreensão na operação, chamada de Armadeira.

De acordo com informações da PF, a investigação começou depois que um colaborador da Operação Lava Jato foi instado a pagar suborno a fiscais da Receita, para não ser autuado.

A partir dessa informação, a Polícia Federal, com o apoio da própria Receita e do Ministério Público Federal, identificou patrimônios dissimulados e o uso de informações privilegiadas para beneficiar terceiros.

Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Agência Brasil



Operação do MPRN investiga fraude de R$ 1,5 milhão em Caiçara do Rio do Vento

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta terça-feira (24) a operação Cambalacho. O objetivo é apurar um esquema fraudulento que aplicou golpes de pelo menos R$ 1.549.550,00 em Caiçara do Rio do Vento, cidade da região Central do Estado. Com apoio da Polícia Militar, estão sendo cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Natal, Parnamirim, Umarizal, Felipe Guerra e Caiçara do Rio do Vento.

A operação investiga os crimes de peculato, organização criminosa, falsificação de documentos públicos e privados, falsidade ideológica, estelionato e lavagem de capitais, entre outros delitos que ainda serão apurados.

A operação Cambalacho conta com a participação de 10 promotores de Justiça, 9 servidores do MPRN e ainda de 43 policiais militares. Além dos seis mandados de prisão, foram cumpridos outros 9 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados.



Lei e Ordem 2: ação do MPRN prende casal suspeito de integrar facção em Angicos

Operação aconteceu na cidade de Angicos

Uma operação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e da Polícia Militar realizada na sexta-feira (13), prendeu um casal suspeito de integrar uma facção criminosa em Angicos. A ação é continuidade da operação Lei e Ordem 2, também do MPRN. O casal também responde pelo crime do tráfico de drogas.

Abraão Lincolin Martins da Silva, conhecido como “Matuto”, e Talita Emanuely Pinheiro Cesario estavam foragidos da Justiça e serão encaminhados ao sistema penitenciário para custódia.

A Promotoria de Justiça de Angicos e a Polícia Militar reforçam à população que continuam recebendo denúncias anônimas de crimes. As comunicações podem ser feitas pelo Disque Denúncia 127, que é um canal direto do MPRN para denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada.

Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para disque.denuncia@mprn.mp.br

Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas



Operação do MPRN efetua busca e apreensão pessoal e domiciliar de ex-PM que ameaçava autoridades

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) efetuou na manhã desta terça-feira (3) a busca e apreensão pessoal e domiciliar do ex-policial militar Francisco Dantas Cardoso de Veras, na cidade de Mossoró. Como resultado da operação denominada Moinhos de Vento, o investigado passa a ser monitorado por tornozeleira eletrônica e deverá cumprir medidas cautelares. A decisão foi proferida pelo 2º Juizado Cível, Criminal e da Fazenda Pública da comarca de Mossoró, atendendo pedido do MPRN.

O ex-PM, expulso da corporação em 1989, é acusado de ameaçar autoridades, em especial um juiz, por não ter julgado procedente sua ação de reintegração. Com o passar do tempo, buscando vingança pelo resultado não alcançado, o investigado passou a ameaçar o juiz por meio da divulgação de vídeos em redes sociais.

Entre as medidas cautelares concedidas pela Justiça, estão a não aproximação do local de trabalho, da residência da vítima, da própria vítima ou de qualquer familiar, devendo manter distância mínima de 500 metros, além do monitoramento constante por meio da tornozeleira eletrônica.

A decisão judicial também autorizou a quebra dos dados telefônicos e telemáticos, o que resultou na apreensão de mídias e celular do investigado, permitindo o acesso a quaisquer aplicativos e comunicações eletrônicas registradas, como Whatsapp, Telegram, Facebook, Instagram e Snapchat, além de arquivos eletrônicos de qualquer natureza, inclusive hospedados em nuvem, como Dropbox, Google Drive e iCloud.

De acordo com as investigações do MPRN, o acusado teria criado um grupo no WhatsApp, no qual publica vídeos fazendo menção expressa de ameaças ao juiz. Ao mesmo tempo, o ex-PM também estaria utilizando um endereço eletrônico onde publica textos e faz ameaças. Assinando os textos e publicações, o acusado utiliza o codinome “Cabo Cardoso Veras”.

A operação Moinhos de Vento recebeu esse nome em referência à obra Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, em que o personagem principal enxergava em moinhos de vento inimigos imaginários.



Polícia Federal fez operação para combater grupo que aplicava golpes em Canguaretama

A Polícia Federal, juntamente com o NUINT – Núcleo de Inteligência da Previdência Social, deflagrou nesta quinta-feira (22), a Operação Reiteração, na cidade de Canguaretama/RN, com o objetivo de coibir a atuação de grupo criminoso que se utiliza de documentos falsificados com a finalidade de obter Benefício de Amparo Social ao Idoso.

A Polícia Federal efetuou a prisão em flagrante de uma mulher quando intentava requerer o benefício junto a APS (Agência da Previdência Social) da cidade de Canguaretama /RN se utilizando de documentos falsos. As investigações se iniciaram em 2016.

Vale anotar que, atuando em todo o Estado, a mesma pessoa utilizava nomes diferentes em vários requerimentos, com vistas a obter maior número de benefício LOAS possível. Há indícios, inclusive, que a flagranteada tentou auferir concessórios em mais duas localidades no Estado do Rio Grande do Norte.

Segundo dados do NUINT, a ação possibilitou uma economia estimada de R$ 430.000,00 (quatrocentos e trinta mil reais), em pagamentos futuros que seriam realizados, caso tivesse havido a concessão dos benefícios e considerando a expectativa de vida e a idade atual da pretensa beneficiária, conforme tabela de mortalidade do IBGE (2016).

A Operação foi denominada REINTERAÇÃO visto que a mesma pessoa se repete em vários requerimentos, se utilizando de nomes diferentes.